Horário de funcionamento : Segunda a sexta - 8:00h as 18:00h
  Contato : 16. 3342-3666 | 3342-2766

ole8

Excesso de oleosidade no rosto pode causar triquíase

Calor, alimentação inadequada e suor são fatores que potencializam a oleosidade da pele. Quando esse excesso beira os olhos e atinge a pálpebra, o risco de desenvolver triquíase é grande. “A triquíase é a alteração na direção dos cílios, que passam a entrar em contato com os olhos”, explica a oftalmologista Patricia Moitinho, especialista em pálpebras.

A triquíase é causada, muitas vezes, pelo aumento da camada oleosa sobre a pálpebra podendo levar à blefarite, a inflamação dessa região. A alteração incomoda bastante seu portador e pode agredir de forma definitiva a córnea se não for tratada adequadamente.

Um dos sintomas mais evidentes no quadro de triquíase é a sensação de areia nos olhos causada pelo atrito entre os cílios e a córnea e conjuntiva. A constância deste contato cílios/córnea pode favorecer o aparecimento de vermelhidões oculares, conjuntivites, ceratites (inflamações na córnea) que evoluem, em alguns casos, para um quadro de úlcera nessa região ocular.

Causas – Pessoas com tendência a apresentar pele oleosa, seborréia (caspa) podem desenvolver o quadro de blefarite com mais frequência, causando a granulação nas pálpebras e a inversão dos cílios. Há também casos de pessoas que sofreram traumas ou cortes nessa região e passaram a ter os cílios invertidos. Além disso, os tumores palpebrais também podem favorecer ao surgimento da triquíase. O diagnóstico é feito por meio de um exame de rotina com um oftalmologista.

Muitas vezes a triquíase é confundida com outra doença palpebral: o entrópio, por exemplo. “Esse caracteriza-se pela inversão da pálpebra e não somente dos cílios, mas pode causar os mesmos danos à córnea já que também há o atrito entre os pelos da pálpebra e a superfície ocular”, alerta a oftalmologista. Existe ainda o ectrópio, o oposto do entrópio, ou seja, no desalinhamento da pálpebra inferior, voltando-se para fora. Com isso há um fechamento irregular das pálpebras e a distribuição das lágrimas não acontece de forma eficaz. 
Pessoas em idade mais avançada apresentam com maior frequência tanto o entrópio quanto o ectrópio.

Epilação – O tratamento mais adequado para a triquíase é a epilação. “Trata-se da retirada dos cílios com cauterização do folículo piloso (raiz do pêlo) para evitar que nasça novamente”, explica Patrícia. Diante do incômodo gerado pelo atrito entre os cílios e a córnea, algumas pessoas passam a retirar os pêlos com pinças. “Isso é perigoso”, adverte. O hábito de retirar os cílios com a pinça faz os pelos crescerem mais grossos e causarem danos ainda mais expressivos à córnea.

Cuidados  Entre os cuidados que podem ajudar a evitar a oleosidade na região palpebral, amenizar os efeitos da blefarite e impedir o surgimento da triquíase estão:

- Manter as mãos limpas e unhas aparadas quando for fazer a limpeza da região ocular; 
– Evitar ingestão de alimentos gordurosos; 
– Fazer a limpeza frequente das pálpebras. Em caso de inflamação, aplicar compressas mornas sobre as pálpebras fechadas, durante 2 a 3 minutos, pelo menos duas vezes ao dia; 
– Em caso de inflamação nas pálpebras, não use maquiagem, pode agravar.

Fonte: Dr. Visão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>